SPDA – Sistema de Proteção contra Descargas Atmosféricas – O que é? Como funciona?

Raios na cidade – Autor Desconhecido

SPDA (sistema de proteção contra descargas atmosféricas), é regulamentada pela NBR5419 e sua instalação é obrigatória pelo Corpo de Bombeiros. Sua função é mitigar ou anular os danos ocasionados por descargas atmosféricas a propriedades, materiais, incêndios, explosões e reduzir o risco a vida.

Veja nosso artigo com a NBR5419 para visualização em pdf.

Segue um vídeo explicativo simples encontrado no youtube

Atualmente temos 3 tipos de sistemas SPDA, iremos aprofundar em breve, tendo um tópico para cada um, mas a principio eles são:

  • Franklin, limitado a altura e nível de proteção;
  • Gaiola de Faraday;
  • Esfera Rolante, Eletrogeométrico ou Esfera Fictícia.

O método Franklin, sendo menos usado atualmente, consiste em utilizar uma haste de metal na vertical com um captor tipo franklin em sua ponta, há um ângulo especifico de proteção por altura como determina a tabela abaixo:

Ângulos de cobertura – SPDA Franklin

A norma especifica que esse tipo de proteção é instalado para proteger o volume de um cone, como demonstra a imagem abaixo:

Demonstração – SPDA Franklin

O método Gaiola de Faraday consistem em instalar um sistema de captores formado por condutores horizontais interligados em forma de malha. É baseado na teoria de Faraday que diz: “O campo no interior de uma gaiola é nulo, mesmo que passe por seus condutores uma elevada corrente, porém, para que isso ocorra é obrigatório que a corrente escoe de forma uniforme pelos condutores da malha. Quanto menor a distância entre os condutores, melhor proteção será obtida.”.

SPDA – Gaiola de Faraday

Há também a limitação máxima de afastamento dos condutores, como demonstra a tabela abaixo:

SPDA – Gaiola de Faraday – Afastamento máximo dos condutores das malhas.

Há também a comprimento máximo da malha como demonstra a tabela abaixo:

SPDA – Gaiola de Faraday – Tabela de comprimento máximo.

O método Esfera Rolante consiste em fazer rolar uma esfera, por toda a edificação. Esta esfera terá um raio definido em função do nível de proteção. Os locais onde a esfera tocar a edificação são os mais expostos a descargas. Resumindo podemos dizer que os locais onde a esfera toca, o raio também pode tocar, devendo estes serem protegidos por elementos metálicos (captores Franklin ou condutores metálicos). Também é permitido utilizar a combinação desses métodos.

SPDA – Tipo Esfera Rolante

Outras informações importantes:

As exigências do uso do SPDA de acordo com a NBR5419/2005 são:

  • B.1 Generalidades
  • B.1.1
  • Estruturas especiais com riscos inerentes de explosão, tais como aquelas contendo gases ou líquidos inflamáveis,requerem geralmente o mais alto nível de proteção contra descargas atmosféricas. Prescrições complementares para esse tipo de estrutura são dadas no anexo A
  • B.1.2
  • Para os demais tipos de estrutura, deve ser inicialmente determinado se um SPDA é, ou não, exigido.
  • Em muitos
  • casos, a necessidade de proteção é evidente, por exemplo:
  • a) locais de grande afluência de público;
  • b) locais que prestam serviços públicos essenciais;
  • c) áreas com alta densidade de descargas atmosféricas;
  • d) estruturas isoladas, ou com altura superior a 25 m;
  • e) estruturas de valor histórico ou cultural
  • B.1.3
  • Este anexo apresenta um método para determinar se um SPDA é, ou não, exigido, e qual o nível de proteção aplicável. No entanto, alguns fatores não podem ser avaliados e podem sobrepujar todas as demais considerações.
  • Por exemplo, o fato de que não deve haver qualquer risco de vida evitável, ou de que os ocupantes de uma estrutura devem se sentir sempre seguros, pode determinar a necessidade de um SPDA, mesmo nos casos em que a proteção seria normalmente dispensável. Nestas circunstâncias, deve recomendar-se uma avaliação que considere o risco de exposição (isto é, o risco de a estrutura ser atingida pelo raio), e ainda os seguintes fatores:
  • a) o tipo de ocupação da estrutura;
  • b) a natureza de sua construção;
  • c) o valor de seu conteúdo, ou os efeitos indiretos;
  • d) a localização da estrutura;
  • e) a altura da estrutura

Outras informações:

  • A execução do sistema começa pela contratação de uma empresa especializada em SPDA. A empresa deve realizar um estudo preliminar de riscos e apresentar medidas preventivas de segurança.
  • Os SPDAs devem passar por inspeções visuais anualmente e inspeções completas (de acordo com o nível de proteção requerido), e nessas inspeções deverão ser identificadas eventuais irregularidades e, no caso, corrigidas imediatamente para garantir e eficiência do sistema.
  • Não há uma proteção 100% segura, mas sim a utilização de dispositivos de proteção que diminuam os riscos e a probabilidade de danos aos equipamentos e instalações e/ou estruturas físicas ao serem atingidas.

Continua com dúvida? Escreva para gente, utilize o fórum ou comente abaixo, ficaremos felizes em te ajudar.

Curta, compartilhe e comente, assim você ajuda muito.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.